Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Rei da Bélgica forçou filho a casar, afirma livro

23.10.12, Blog Real

Um livro lançado nesta terça-feira sobre a família real belga está causando polémica ao questionar a orientação sexual do príncipe Philippe, herdeiro do trono. A obra "Questões reais", do jornalista Fréderic Deborsu, afirma que o rei Alberto II teria ameaçado retirar o filho da linha de sucessão caso ele não acabasse com "uma relação intensa" que vinha mantendo com um aristocrata. Deborsu qualifica como "forçada" a união entre o príncipe e a princesa Mathilde, com quem é casado desde 1999 e tem quatro filhos.

Segundo o jornal belga "Le Soir", o jornalista esclareceu nesta terça-feira, em coletiva de imprensa para o lançamento de seu livro, que se baseou em uma conversa entre o rei Alberto II e seu irmão, Christophe Deborsu, que também é jornalista.

Em 1996, Phillippe tinha 36 anos e deveria-se casar, mas não havia tido nenhuma namorada oficial. Essa não era sua prioridade. E o rei disse-lhe: "Se você não se casar, não será rei". É um segredo conhecido por poucas pessoas. Astrid, sua irmã, já se preparava para se tornar rainha - revelou o jornalista.

Na obra, Deborsu afirma ainda que o casamento entre o príncipe herdeiro e a princesa Mathilde, em 1999, teria sido forçado pelo rei Alberto II. Sobre as dúvidas em relação às preferências sexuais do príncipe, o jornalista garante que Philippe jamais teve uma "relação digna deste nome com mulheres". Já a princesa teria cedido às pressões de seu pai, que via na aliança uma oportunidade para a ascensão social da família. Segundo o livro, os quatro filhos do casal seriam resultado de fertilizações in vitro.

Em declaração oficial, o rei Alberto II disse estar profundamente insultado com o que foi reproduzido pelos jornais, e repudiou o livro de Deborsu, afirmando que as informações apresentadas são falsas.

"Escrevi um livro sobre a monarquia porque queria aprender. A história é panorâmica. Isolar extratos é lamentável", argumentou.