Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Príncipe Akishino e Princesa Kiko visitaram uma exposição que celebra a 3000ª transmissão do programa de TV "Imperial Family Album"

31.07.18, Blog Real

O Príncipe Akishino e a Princesa Kiko visitaram uma exposição e uma recepção que celebra a 3000ª transmissão do programa de TV "Imperial Family Album" em Chiyoda, Tóquio. O Mainichi Broadcasting System (MBS) iniciou a transmissão do programa com uma emissão de 15 minutos sobre o casamento do Imperador Akihito e da Imperatriz Michiko em 1959 e chegará ao seu 3000º episódio em agosto deste ano. O príncipe Akishino inspecionou uma câmera usada para o casamento e riu-se de cenas de quando era mais jovem.

 

 

 

 

 

 

Fonte: gettyimages

Zara Tindall confessa ter sofrido um segundo aborto

31.07.18, Blog Real

Zara Tindall abriu o coração para falar de um assunto difícil. A neta da Rainha Elizabeth II confessou ter sofrido um segundo aborto, permitindo-se um momento de fragilidade que raramente ocorre entre os membros da família real. Recorde-se que a mulher de Mike Tindall sofreu o primeiro aborto em dezembro de 2016, facto tornado público apenas um mês depois de anunciada uma gravidez, e vem agora contar que sofreu um outro nos meses seguintes, em 2017. Confidenciou ter sofrido um segundo aborto muito precocemente, meses antes de engravidar da sua filha Lena, que nasceu em junho último, e que se veio juntar a Mia, de quatro anos.

"Tivémos que dizer a todos e, como todos sabem, isso é o mais difícil", garantiu lembrando a primeira perda. E acrescentou: "É por isso que eu acho que muitas pessoas não falam sobre isso porque [um aborto] pode acontecer cedo e apenas o seu grupo de amigos e a sua família ficam a saber." Apesar de ser um assunto muito particular, Zara foi confortada com muitas cartas vindas de pessoas que passaram pela mesma situação. O apoio da família, particularmente do irmão Peter, foi decisivo.

Falou ainda do estigma em torno dos abortos espôntaneos admitindo que, no seu caso pessoal, não queria falar com ninguém porque a sua dor era crua, apesar de ter conseguido seguir em frente à medida que o tempo passava.

Pág. 1/32