Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Palácios Reais - Palacio de Dusit

23.06.13, Blog Real

 Vista aérea de 1940

O Palácio de Dusit (em tailandês: พระราชวังดุสิต) é um complexo de construções da monarquia da Tailândia localizado no distrito Dusit de Bangkok, foi adoptado como residência privada (não oficial) por p rei Chulalongkorn (Rama V), e depois por os outros reis que lhe sucederam.

Construido principalmente entre 1897 e a década de 1910, ocupa mais de 6 hectáres e inclui vinte edíficios de diferentes estilos, entre eles palácios, mansões, museus e a residência privada do actual rei Bhumibol Adulyadej (Rama IX).

História:

Após uma viagem por a Europa, o rei Chulalongkorn adquiriu os terrenos entre os canais Samsen e Padung Krungkasem para construir os jardins reais, onde pouco depois começaram a construirse os edíficios para albergar os vários residentes do Grande Palácio de Bangkok, onde desde 1782 residia a Família Real Tailandesa.

A primeira residência permanente nos jardins reais foi o Palácio Vimanmek, construido originalmente como um palácio de verão em 1868 em Koh Sri Chang, província de Chonburi, que depois mudou para Dusit en 1900. Ali residiu o rei Chulalongkorn desde 1901 até 1906, quando se mudou para a mansão Amporn Satarn, também dentro dos jardins de Dusit.

Entre 1903 e 1904 foram construidos os Salões do Trono Tamnak Ho e Abhisek Dusit, até que Ananta Samakhom (que em 1932 se converteu no primeiro Parlamento tailandês) foi ordenado por Chulalongkorn en 1907 e finalizado durante o reinado do rei Vajiravudh (Rama VI).

Em 1908, logo depois da sua segunda viagem pela Europa, Chulalongkorn expandiu os seus jardins até ao norte e ao oeste, e deu-lhe o nome de Suan Sunandha (สวนสุนันทา), em homenagem à rainha, e também iniciou a construção de 32 residências para as consortes dos reis e seus filhos.

Depois da morte de Chulalongkorn em 1910, a família real mudou-se novamente para o Grande Palácio, mas em 1925 o rei Vajiravudh permitiu á rainha instalarse nosjardins de Dusit, e foram rebaptizados com o nome de Palácio de Dusit. Nesse mesmo ano, com o falecimiento de Vajiravudh, a rainha deixou a mansão Vimanmek onde residía para se mudar para a residência Suan Hong.

O Palácio Chitralada, também conhecido como Villa Real Chitralada, foi construido em 1913, ainda que incorporado oficialmente no Palácio de Dusit durante o reinado de Prajadhipok (Rama VII), em 1925. Actualmente é a residência do rei Bhumibol Adulyadej.

Uma parte do parque, denominada Khao Din Wana (เขาดินวนา), foi cedida por o rei Ananda Mahidol (Rama VIII) ao governo de Bangkok em 1938 para a construção do Zoológico de Dusit.

Principais Edíficios:

Mansão Vimanmek

È a construção em madeira mais grande do mundo, feita integramente em teca sem nada de metal.

Construida em 1868 na ilha Koh Sri Chang, foi transladada em 1900 para Dusit, e um ano mais tarde foi adoptada como residência por o rei Chulalongkorn em 1906; mais tarde se instalou lá a rainha Indharasaksaji e depois entrou em desuso, até que em 1982 a rainha Sirikit Rajini a recuperou como museu en homenagem a Chulalongkorn.

È a maior residência do Palácio de Dusit e o seu estilo arquitectónico tem influências ocidentais. Tem 31 habitações abertas ao público, decoração de principios do século XX e elementos pessoais da família real.

Algumas das obras expostas incluem prata, cerâmica, vidro e marfim.

Salão do Trono Ananta Samakhom

Construido entre 1906 e 1915 no estilo renascentista italiano, consta de duas plantas de mármore branco e de uma grande cúpula. Foi encargado por o rei Chulalongkorn aos arquitectos italianos Annibale Rigotti e Mario Tamagno.

O primeiro parlamento tailandês funcionou neste edificio entre 1932 e 1974, quando se construiu uma sede legislativa perto do Palácio de Dusit. Está aberto ao público quando não tem uso oficial, já que é utilizado como o espaço de celebrações e cerimónias especiais, além de ser o salão de recepções de mandatários estrangeiros.

Em 2006, devido às celebrações dos 60 anos de reinado do rei Bhumibol Adulyadej, representantes de 26 países reuniram-se no Salão do Trono Ananta Samakhom, como o príncipe Andrew, duque de York; o rei Philippe da Bélgica e a sua esposa Mathilde; o então príncipe dos Países Baixos, Willem-Alexander, e a sua esposa Máxima; e a rainha Sofía de Espanha, entre outros.

Também inclui a exibição permanente "As artes do reino", com artesanato realizado por colaboradores da Fundação para a Promoção de Ocupações Suplementárias Técnicas Relacionadas (SUPPORT, são as siglas em inglês), que é liderado pela rainha Sirikit.

Salão do Trono Abhisek Dusit

Foi construido entre 1903 e 1904 por ordem do rei Chulalongkorn, separado da Mansão Vimanmek por o canal Rong Maihom. Tem influências da arquitectura victoriana e pórticos árabes.

Foi o primeiro Salão do Trono construido no Palácio de Dusit, encomendado por Chulalongkorn ao regressar da sua primeira viagem pela Europa. Funcionava como sala de jantar principal do complexo, assim como salão de baile anual para membros da realeza e funcionários públicos.

O salão foi restaurado por a rainha Sirikit para ser utilizado como museu, onde também se expõe artesanato produzido por membros da fundação SUPPORT, inaugurado por a própria rainha consorte a 20 de janeiro de 1993.

Salão do Trono Tamnak Ho

Também conhecido como Salão Residencial dos Recém Casados, originalmente era parte do Palácio Bang Khun Phrom, nos bancos do rio Chao Phraya. Foi ali que se realizou em 1903 o casamento do príncipe Paribatra Sukhumbhand, filho de Chulalongkorn.

Em 1998 foi desmantelado e reinstalado no Palácio de Dusit, onde estão guardados elementos pessoais da rainha Rambhai Barni, esposa de Prajadhipok (Rama VII), e cerâmicas da era Sukhothai. Desde [[2013]] permanece encerrado ao público.

Palácio Chitralada

O Palácio Chitralada (em tailandês: พระตำหนักจิตรลดารโหฐาน; pronunciado Chit Lada Raho-than),é a residência privada do rei Bhumibol Adulyadej (Rama IX) e da rainha Sirikit em Bangkok, Tailândia. O palácio forma parte do complexo do Palacio de Dusit. O rei Bhumibol foi o primeiro rei da dinastia Chakri a viver no Palácio Chitralda, após a morte do seu irmão mais velho, o rei Rama VIII no Grande Palácio de Bangkok. Os terrenos dp palácio, somam o total de 4 kilómetros quadrados, rodeado por um fosso e Guardas, também é nesta residência que está instalada a Escola Chitralada, criada inicialmente para as crianças da família real. É a mais exclusiva das escolas da Tailândia e foi construida em 1957.

Salão Residencial Suan Hong

Também denominado Jardim do Cisne, foi a residência de Savang Vadhana, uma das consortes do rei Chulalongkorn. Há uma exibição de fotos, que inclui imagens de procissões das barcaças reais e outras celebraçõs oficiais. Em 2013 foi encerrado ao público.

Museu Real do Elefante

Dois antigos estábulos de elefantes brancos (todos os elefantes albinos na Tailândia foram doados à realeza) foram convertidos num museu com informações, objetos e fotografias que destacam a importância destes animais na história do país.
Museo Real de Carruagens
O edificio alberga uma exibilção de carruagens de principios do século XX utilizados por Chulalongkorn.
Outros Edíficios
  • Salão Residêncial de SAR a Princesa Bussaban Bua-Phan
  • Salão Residêncial de SAR a Princesa Arun-Wadi
  • Salão Residêncial de SAR a Princesa Orathai Thep-kanya
  • Salão Residêncial de SAR a Princesa Puang Soi Sa-ang
  • Salão Residêncial Suan Bua
  • Salão de Apresentações Suan Bua Plew
  • Salão de Parafernália Real de Alto Rango
  • Museu do Relógio Antigo
  • Museu do Vestuário e da Seda
  • Museu da Cerâmica Ban Chiang

Palácios Reais - Palácio Raghadan

23.06.13, Blog Real

O Palácio Raghadan é a principal residência da Família Real da Jordânia e está localizada na capital do país, Amã. O palácio foi construído em 1926.
O palácio foi a residência do Rei Abdullah I. O edíficio foi construído em estilo islâmico, apresentando inúmeras janelas de vidro manchadas, e um interior repleto de madeira requintada.
Embora o atual rei, Abdullah II e a sua esposa, a rainha Rania não residam no palácio, preferindo viver numa casa de família nos subúrbios de Amã, Raghadan continua a desempenhar um papel central na vida pública. É um local principal para grandes cerimónias e reuniões e onde recebem chefes de estado estrangeiros e diplomatas. E quando o rei Hussein, morreu em 1999, foi para o Raghadan que dignitários de todo o mundo vieram prestar as suas últimas homenagens.
Ao longo dos anos o palácio sofreu extensas renovações, incluindo a restauração dos afrescos no teto da sala do trono após um incêndio em 1983. O edifício mantém as suas originais características arquitectónicas.
O Palácio Raghadan está rodeado por vários outros edifícios, incluindo o Palácio de Basman - usado como residência pelo rei Hussein no início dos anos cinquenta e que agora abriga os escritórios do rei atual - e o Al-Qasr Al-Sagheer, local de nascimento do rei Hussein I e onde se encontram os escritórios privados da Rainha Rania.

Palácios Reais - Dar-al-Makhzen (Rabat)

23.06.13, Blog Real

O Dâr-al-Makhzen ou Dar al Makhzen é um palácio dos reis de Marrocos situado em Rabat, a capital do país. É a residência oficial dos monarcas marroquinos, mas tem funções sobretudo político-administrativas, pois o rei geralmente não reside lá de facto. O palácio localiza-se em Touarga (ou "cidade real"), a comuna urbana com estatuto especial de Rabat.

Construído em 1864, no lugar de um palácio mais antigo, é rodeado de uma muralha defensiva, com uma grande entrada principal que dá acesso a um vasto pátio, o Méchouar. O complexo é constituído pela "cidade do governo", que inclui uma mesquita e diversos edifícios ocupados por ministérios, por casernas da guarda, um colégio, um pequeno hipódromo e um campo de golfe privado. Todos os edifícios estão cobertos de telhas verdes, um material reservado em Marrocos à realeza marroquina e a edifícios religiosos muçulmanos, estão estruturados segundo o modelo das casas citadinas tradicionais e orientados para vastos jardins e pátios interiores muito ornamentados.

No complexo trabalham e residem cerca de 2 000 pessoas.

royal-palace-of-rabat.jpg

2012-05-rb-royal-palace-01e.jpg

Palácios Reais - Palácio Imperial do Japão

23.06.13, Blog Real

O Palácio Imperial do Japão (皇居, kōkyo?), também chamado Palácio Imperial de Tóquio, é a residência oficial do Imperador do Japão.

Está localizado no distrito de Chiyoda, no centro de Tóquio, próximo da Estação Tokyo. A propriedade imperial tem, aproximadamente, o mesmo tamanho do Central Park, cuja área é de 3,41 km.

Em 1868, após a Restauração Meiji e a resignação de Tokugawa Yoshinobu, o último xogum Tokugawa, a corte imperial japonesa mudou-se de Kyoto para Tóquio, e o Edo-jo, a antiga fortaleza Tokugawa, foi convertida na residência do Imperador.

Entre 1888 e 1848, o palácio foi chamado de Kyūjō (宮城, "castelo palácio"). O recinto do palácio inclui os "Três Santuários do Palácio" (宮中三殿, Kyūchūsanden).

Os edifícios do Palácio Imperial foram construídos pela Corporação Takenaka, a mais antiga empresa de construções do Japão, fundada em 1610.

O palácio foi bombardeado e destruído durante a Segunda Guerra Mundial, mas foi reconstruído de forma idêntica em 1968.

Hoje, a maior parte do palácio está fora do acesso público, mas a Agência da Casa Imperial organiza visitas. Por outro lado, os Jardins Orientais estão habitualmente acessíveis aos turistas. A parte mais interior do complexo fica aberta ao público apenas duas vezes por ano, no aniversário do Imperador Akihito (23 de dezembro) e no Ano Novo (2 de janeiro).

Durante a subida da bolha financeira e imobiliária japonesa da década de 1980, o palácio foi propositadamente valorizado, por alguns, com um valor equivalente ao de todos os imóveis da Califórnia, nos Estados Unidos.

Residência do Monarca


O Palácio Imperial de Tóquio, é onde fica a residência do imperador Akihito e da imperatriz Michiko, e onde são realizados rituais como entronização e recepção a chefes de Estado.

A área conhecida como Palácio Imperial é composta pelos parques Kitanomaru, Koukyo Higashi Gyoen, Koukyo Gaien, Wadakura Funsui Kouen, praça Koukyo Mae e jardim imperial de Fukiage. Neste último, localiza-se a residência do imperador.

Atualmente, à exceção da área destinada à residência e ao cerimonial imperial, o palácio fica aberto ao público. 

Interior

O trono do Período Meiji, no palácio imperial, foi usado por a última vez por o Imperador Hirohito, e foi destruido na Segunda Guerra Mundial.