Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Livro de Pippa Middleton é um «flop» de vendas

12.11.12, Blog Real

O livro sobre organização de eventos e festas da autoria de Pippa Middleton, «Celebrate», está a revelar-se um «flop» de vendas no Reino Unido e nos EUA.

A editora Penguin depositava grandes esperanças no livro assinado pela irmã de Kate Middleton, mas «Celebrate» ocupa um modesto 177º lugar na lista da Amazon em terras de Sua Majestade.

Nos EUA, onde Pippa é extremamente popular, os resultados são ainda piores, com o livro a ocupar o 303º posto na lista de vendas da Amazon.
A Penguin adiantou 400 mil libras (meio milhão de euros) a Pippa Middleton mas o livro apenas vendeu duas mil cópias na primeira semana.
Nem mesmo uma redução de 50% no preço – de 25 para 12,50 libras (31 para 15,6 euros) – impulsionou as vendas.

Palácios Reais - Palácio do Príncipe do Mónaco

12.11.12, Blog Real

O Palácio do Príncipe do Mónaco é a residência oficial do Príncipe do Mónaco. Fundado em 1191 como uma fortaleza da República de Gênova, durante sua longa e dramática história foi bombardeado e cercado por muitas potências estrangeiras. Desde o fim do século XIII, tem sido fortaleza e lar da família Grimaldi que foi a primeira a capturá-la em 1297.Os Grimaldis dominaram a área primeiramente como senhores feudais e, a partir do século XVII, como príncipes soberanos, mas os seus poderes derivavam dos frágeis acordos com os seus países vizinhos, maiores e mais fortes.

Assim, enquanto outros soberanos europeus estavam construindo luxuosos e modernos palácios renascentistas e barrocos, a política e o senso comum exigiam que o Palácio do Mónaco fosse fortificado. Esta única exigência, na fase tardia da história, fez com que o Palácio do Mónaco se tornasse um dos mais incomuns na Europa. Ironicamente, quando as suas fortificações foram finalmente terminadas, no final do século XVIII, foi tomado pelos franceses que tiraram todo os seus tesouros, fazendo-o entrar em declínio, enquanto que a família Grimaldi foi exilada durante mais de 20 anos.

A ocupação pelos Grimaldi do palácio também é incomum, pois, ao contrário de outras famílias influentes europeias, a ausência de palácios alternativos e a escassez de terrenos resultou na utilização da mesma residência por mais de sete séculos. Assim, as suas fortunas e política estão diretamente refletidas na evolução do palácio. Considerando que os Romanovs, Bourbons, e Habsburgos podiam construir palácios totalmente novos, e com frequência o faziam, a maior conquista dos Grimaldi enquanto gozavam da boa fortuna, ou desejavam mudanças, era a de construir uma nova torre ou ala, ou, como fizeram com maior frequência, reconstruir uma parte do palácio já existente. Assim, o Palácio do Príncipe reflete não apenas a história de Mônaco, mas da família que em 1997 comemorou 700 anos na posse do mesmo palácio.

Durante o século XIX e o início do século XX, o palácio e os seus proprietários rapidamente se tornaram símbolos do ligeiramente esquecido glamour e do decadentismo que foram associados com Monte Carlo e com a Riviera francesa. Glamour e teatralidade se tornaram realidade quando a estrela cinematográfica americana Grace Kelly se tornou Chatelaine do palácio em 1956. No século XXI, o palácio continua a ser a residência do atual Príncipe do Mónaco.

Palácio nobre

O palácio é uma combinação de estilos arquitetônicos; suas antigas origens são indicadas pela ausência de simetria. Assim, para avaliar a arquitetura, as alas e blocos têm que ser observados separadamente. A principal fachada aparece como um terraço do estilo dos palazzi da Renascença de diferentes períodos desta era que — ainda assim, de qualquer modo formam um único palácio — é exatamente o que eles são. Estas alas são, entretanto, unidas por piso rústico comum. Esta arquitetura renascentista parece mascarar fortificações mais antigas, as torres detrás das quais surgem as diferentes fachadas clássicas. Estas torres (muitas completadas com ameias e balestreiros) foram na verdade quase que totalmente reconstruídas durante o século XIX. Na parte de trás do palácio, as fortificações medievais originais parecem intocáveis pelo tempo. Uma maior harmonia arquitetônica foi alcançada pelo recurso ao cour d'honneur em torno do qual o palácio foi construído. Neste pátio, dois andares de arcadas abertas com frescos servem tanto como sacada para as aparições do príncipe como de entrada real e corredor de ligação entre os aposentos reais do palácio.

Os mais notáveis dentre os muitos aposentos são os salões de aparato. Estes foram construídos a partir do século XVI e foram aprimorados ao estilo do Palácio de Versalhes durante o século XVIII. No século XIX e de novo durante o final do século XX, uma grande restauração dos quartos reais consolidou o estilo do século XVIII, o qual prevalece até hoje.

Desenhado como um enfileirado e uma rota cerimonial para os aposentos do trono, a rota processional começa com uma escadaria externa que leva do cour d'honneur à galeria aberta, conhecida como a Galeria de Hércules. Daí os convidados entram na Galeria de espelhos, uma longa galeria inspirada no Salão de Espelhos em Versailles.Esta galeria leva aos primeiros quartos reais, onde os convidados são cumprimentados pelos oficiais da corte antes de uma audiência com o príncipe na sala do trono. Do salão dos oficiais, o enfileirado continua até ao Salão Azul. Este grande aposento, decorado com brocados azuis, tem retratos da família Grimaldi pendurados e candeeiros de cristais de Murano. O aposento seguinte, o maior dos apartamentos reais, é o salão do trono. Seu teto e frescos foram executados por Orazio de Ferrari e descrevem a rendição de Alexandre o Grande. O trono, em estilo império, está posicionado num estrado, por baixo de um baldaquino com um manto vermelho acima da coroa de ouro. Os andares são de mármore de Carrara, na Itália. Todas as cerimônias palacianas têm sido realizadas neste aposento desde o século XVI.

Outros aposentos na suíte real incluem o quarto vermelho, assim chamado porque suas paredes são cobertas por brocados vermelhos, um grande quarto desenhado contendo pinturas de Jan Brueghel e Charles Le Brun. Como grande parte do palácio, o quarto contém ornamentos e mobílias setecentistas de estilo francês. Do quarto vermelho se chega ao quarto York. Mobiliado como um dormitório real, este quarto possui frescos com ilustrações das quatro estações por Gregorio de Ferrari. O quarto seguinte, conhecido como o quarto amarelo (ou às vezes como o dormitório de Luís XV), é outro aposento real.

O quarto mais marcante do conjunto é o quarto Mazarin. Este quarto desenhado é delineado com apainelados policromados italianos, dourados e pintados por artesãos levados à França pelo Cardeal Mazarin, que era parente dos Grimaldi por casamento. O retrato do Cardeal Mazarin está pendurado acima da lareira.

Enquanto a atmosfera excessiva do interior e exterior do palácio é do século XVIII, o próprio palácio não o é. Muita da sua aparência resulta de uma longa evolução que data do século XII, sobreposta por uma restauração pesada e remobiliada durante os séculos XIX e XX.

Charlotte Casiraghi num evento organizado pela Chanel em Paris

12.11.12, Blog Real

Charlotte Casiraghi.jpgA elegância de Charlotte Casiraghi, herdada da avó, a princesa Grace Kelly, e da mãe, Carolina do Mónaco, nunca passa despercebida e esta semana a jovem voltou a brilhar num evento de moda. Charlotte foi a grande protagonista da apresentação da exposição The Little Black Jacket, um projeto da Chanel em que várias caras conhecidas posaram para Karl Lagerfeld com o mítico casaco em tweed desenhado por Coco Chanel. A filha de Carolina do Mónaco, de 26 anos, foi uma das fotografadas, juntamente com Uma Thurman, Sarah Jessica Parker, Claudia Schiffer, Poppy Delevingne, Alexa Chung, Laetitia, entre muitas outras personalidades.

A jovem mostrou-se descontraída e o seu sorriso revela que está a viver um bom momento: encontrou o amor ao lado do ator e humorista francês Gad Elmaleh, de 41 anos, e prepara-se para ser tia pela primeira vez, visto que a noiva do seu irmão Andrea Casiraghi, Tatiana Santo Domingo, está grávida.