Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Palácios Reais - Castelo de Berg

10.11.12, Blog Real

O Castelo de Berg  localiza-se na cidade de Colmar-Berg, no centro de Luxemburgo, perto da confluência dos rios Alzette e Attert, dois dos mais importantes do país. É a principal residência do grão-duque de Luxemburgo.

Embora a propriedade em Colmar-Berg remonte ao ano de 1311, só chegou à posse dos grão-duques de Luxemburgo em 1845, quando o rei Guilherme II dos Países Baixos o adquiriu ao barão Claude de Pasquier.

História

A Revolução Belga havia separado o Luxemburgo dos Países Baixos e dividido o território em dois, minando o controle holandês da fortaleza da cidade do Luxemburgo. O grão-duque Guilherme II pensava em estabelecer uma residência grã-ducal adequada no Luxemburgo, esperando que a divisão do seu tempo entre Haia e o Luxemburgo pudesse apaziguar a população local, predominantemente católica apostólica romana. Com esse fim em vista, o grão-duque comprou a propriedade do Castelo de Berg do barão Pasquier. Em 1848, o edifício foi reconhecido como a casa exclusiva do grão-duque pela constituição recém-promulgada.

Em 1890, a união pessoal entre os Países Baixos e Luxemburgo terminou, e o novo grão-duque, Adolfo, primo da rainha Guilhermina dos Países Baixos, adquiriu o Castelo de Berg no ano seguinte. O castelo tornar-se-ia a residência do seu filho, o grão-duque hereditário Guilherme, e da sua nora, Maria Ana de Bragança. A grã-duquesa Maria Adelaide, nascida no Castelo de Berg em 1894, viria a tornar-se, em 1912, o primeiro monarca luxemburguês a nascer no grão-ducado.

Em 1906, Guilherme IV mandou demolir o velho castelo e construir um novo no seu lugar, desenhado pelo arquiteto sediado em Munique Max Ostenrieder e pelo arquiteto local Pierre Funck-Eydt. As obras do novo edifício começaram em 1907, tendo sido concluídas em 1911. Tornou-se, então, na principal residência da família grã-ducal.

Durante a Grande Depressão, a família grã-ducal passou por um período financeiro difícil. A grã-duquesa Charlotte procurou um acordo com o governo do Luxemburgo, ao abrigo do qual o grão-ducado alienava algumas propriedades pessoais para o governo, permitindo, porém, que a família grã-ducal as usasse como residências oficiais. Em 1934, tal acordo atingiu o Castelo de Berg, juntamente com grande parte da Floresta de Grünewald; as duas propriedades mudaram de proprietários pela quantia de 40 milhões de francos luxemburgueses, dos quais 20 milhões diziam respeito ao castelo; isto foi visto pelo governo como uma subavaliação (tal como o preço de Grünewald), uma vez que tinham avaliado o castelo em 22 milhões.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a grã-duquesa Carlota exilou-se com o governo em Londres, sendo o castelo ocupado pela Alemanha Nazi. Neste período, foram roubadas as mais valiosas obras de arte do castelo, sofrendo o próprio edifício importantes alterações para se adaptar ao propósito nazi de reeducar raparigas locais. Após o conflito, o restauro do castelo demorou vários anos, vindo a ser ocupado, somente, em 1964, quando o grão-duque Jean subiu ao trono. Entretanto, a sua família residiu no Castelo de Fischbach, embora este estivesse longe das suas preferências. 

Na Atualidade

O Castelo de Berg é, actualmente, uma das duas propriedades cobertas por acordos semelhantes, sendo a outra o Palácio Grão-ducal, na Cidade do Luxemburgo. O direito dos grão-duques em residir nestes dois palácios está inscrito no Artigo nº 44 da Constituição do Luxemburgo. É habitado, presentemente, pelo grão-duque Henri, pela grã-duquesa Maria Teresa e pelos seus filhos.

Saúde frágil impede rainha Fabíola da Bélgica de participar em atos oficiais

10.11.12, Blog Real

Fabíola da Bélgica.jpgFabíola da Bélgica será a grande ausente das tradicionais celebrações do Dia do Rei, que se assinala na próxima quinta-feira, dia 15. A Casa Real belga anunciou que o estado de saúde da rainha, de 84 anos, não permite que marque presença nas comemorações, nem mesmo em cadeira de rodas, tal como tem acontecido nas suas últimas aparições públicas. E, apesar de não serem revelados detalhes, tudo indica que no futuro serão muito poucos os atos oficiais a que assistirá. Contudo, Bruno Nève de Mévergnie, porta-voz do palácio, salientou que “a rainha se encontra bem”. “Ainda consegue andar, apesar de ter problemas em manter-se de pé durante muito tempo. A rainha não tem a certeza de se sentir em condições de estar presente e é difícil prever como estará na próxima semana. Mesmo em cadeira de rodas, os eventos deixá-la-iam muito cansada ”, acrescentou.

A presença dos príncipes herdeiros, Philippe e Mathilde, bem como de outros membros da família, prestigiará as comemorações do Dia do Rei.

Jubileu de Diamante: Visita à Austrália - Dia em Sydney

10.11.12, Blog Real

Visita à Base Naval de Garden Island

1

2

3

4

5

Passeio de barco

princewalesduchesscornwl

princewalesduchesscornwb

Encontro com responsáveis da indústria australiana de lãs no Museu de Arte Contemporânea

6

7

8

9

Visita à Base da Polícia Militar, de que Camilla foi nomeada Coronel

10

11

12

13

Visita ao Bondi Icebergs Swimming Club

14

15

16

Charles assiste a jogo de rugby de praia

17

18

19

Visita a uma escola com um programa especial para alunos de comunidades indígenas

20

21

22

Camilla participou num encontro com australiana de sucesso no mundo na Casa do Governador

23

24

25

26

Recepção na Ópera de Sydney

27

28

29