Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

Blog_Real - O Blog das Monarquias

Siga as actividades da realeza e fique a conhecer melhor as monarquias da Europa e do Mundo.

D.Duarte visita hoje o Chefe de Estado de Cabo Verde

09.11.12, Blog Real
S.A.R., Dom Duarte, seria um bom Rei!O Herdeiro ao Trono de Portugal, Dom Duarte Pio, está em Cabo Verde onde participa num encontro de fundações da CPLP, que hoje termina. O Chefe da Casa da Real portuguesa regressa esta quinta-feira ao seu país.

 

Praia, 8 de Novembro 2012 – Dom Duarte Pio, Duque de Bragança e Herdeiro ao Trono de Portugal, encontra-se hoje, pelas 17 horas, com o Chefe de Estado de Cabo Verde, para uma visita de cortesia a seu pedido.
Dm Duarte, como é conhecido em Portugal, participa no IX Encontro das Fundações da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), iniciado na última terça-feira, no Mindelo, e que hoje encerra os seus trabalhos. Realizado sob o lema “Desenvolvimento Local e Desenvolvimento da Sociedade Civil”, o evento é organizado pelo Centro Português de Fundações e pela cabo-verdiana Fundação Infância Feliz.
Liberal, 8 de Novembro de 2012

D. Duarte: República arrisca 'falência fraudulenta'

09.11.12, Blog Real
O duque de Bragança, D. Duarte Nuno, considerou hoje que a III República em Portugal está "quase a entrar em falência fraudulenta" por "atos de grande incoerência e irresponsabilidade" de vários governos.

Falando aos jornalistas na Cidade da Praia, após ter sido recebido em audiência pelo chefe de Estado de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, o também presidente da Fundação D. Manuel II culminava a síntese do percurso económico de Portugal desde a instauração da República, em 1910.

"A I República começou em 1910 e terminou em 1926 com uma falência muito grave, a II República teve uma economia boa, mas viveu em ditadura e a III República está quase a entrar em falência fraudulenta, com atos de grande incoerência e irresponsabilidade de vários governos", afirmou.

"Agora temos de pagar. O problema é saber como pagar, como evitar sacrifícios, embora todos tenhamos de os fazer. Eu próprio tenho situações em que tenho de rever os planos de ação da Fundação D. Manuel II", afirmou.

D. Duarte Nuno defendeu, porém, que a crise que está a afetar Portugal "pode também ser criativa", exemplificando com o desenvolvimento da solidariedade.

"Esta crise pode ser também criativa. Está a desenvolver-se muito a solidariedade, novas ideias e novas iniciativas, e também se corta uma quantidade de despesas inúteis que estavam a ser feitas tanto pelo Governo como pelas empresas. Dentro do drama que vivemos, há algumas coisas positivas aproveitáveis", defendeu.

Questionado sobre um eventual alargamento do prazo da 'troika', o duque de Bragança considerou que tal seria "pior", defendendo que o ideal era o Banco Central Europeu (BCE) avançar com dinheiro a taxas de juros inferiores.

"Tanto quanto sei, pelo que me dizem os economistas, a medida mais positiva e mais eficiente era conseguir pagar juros mais baixos pelos empréstimos que recebemos, como o Banco Central Europeu (BCE), que empresta dinheiro a 1 por cento. Se o BCE empresta dinheiro com essa taxa de juro, porque temos de pagar os juros que temos a pagar?", questionou.

"Essa seria a maior ajuda para diminuir a dificuldade que estamos a passar em Portugal. Em relação à dilatação do prazo, dizem-me os economistas que não vai ajudar muito, porque vai sair mais caro. Além disso, mostrar que não somos capazes de pagar vai criar ainda maior dificuldade nos mercados internacionais", justificou.

D. Duarte Nuno lembrou que Portugal está a pedir empréstimos para "pagar as despesas correntes do Estado", que ainda hoje não consegue cobrir os custos com os seus próprios rendimentos.

"Não é preciso ser um economista genial para perceber que isso não pode funcionar e qualquer dona de casa percebe que não se pode gastar mais do que se ganha", sublinhou o duque de Bragança, lembrando que mais de 80 por cento dos custos destina-se ao pagamento de salários na Função Pública.

"(Os funcionários públicos) Passaram de 200 mil, em 1974/75, para 700 mil e 50 por cento do rendimento nacional é para pagar o funcionamento do Estado. Isso não é sustentável", concluiu.

Lusa / SOL

http://sol.sapo.pt/inicio/Politica/Interior.aspx?content_id=62633

William e Kate festejam aniversário da universidade onde se conheceram

09.11.12, Blog Real

William e Catherine recordaram esta quinta-feira, dia 8, as suas vidas de estudantes e a altura em que se conheceram, na Universidade de St. Andrews. O casal foi recebido num jantar de gala, que reuniu cerca de 250 convidados com o objetivo de angariar fundos para o Scholarship Fund, uma iniciativa da qual o príncipe é patrono e que visa ajudar economicamente os alunos que querem frequentar a universidade, mas que não têm condições financeiras para o fazer.

No seu discurso, o neto da rainha Isabel II começou por dizer que o evento era muito especial, tanto para ele como para a mulher, que, segundo ele, “adora” a Universidade de St. Andrews pelas pessoas que ali conheceu. “Agradeço a Deus por essas amizades, pela nossa amizade, construída nestes corredores”, acrescentou William antes de agradecer a oportunidade que lhe foi dada de ter uma vida normal, apesar de pertencer à família real inglesa: “Pude ter uma vida de estudante normal, tal como sempre desejei, e estou muito grato a todos”.

Para esta ocasião especial, Kate Middleton elegeu um vestido desenhado por uma das suas designers preferidas, Alice Temperley, e apesar de já o ter usado no assado mês de janeiro na antestreia do filme Cavalo de Guerra, em Londres, voltou a deslumbrar.
1.jpg

2.jpg

3.jpg

4.jpg

5.jpg

6.jpg

7.jpg